PL Mulher SP

Presença feminina foi destaque na Convenção Nacional do PL  

A forte presença feminina foi destaque na Convenção Nacional do Partido Liberal ocorrida neste sábado (29/01), em Brasília, para tratar de assuntos administrativos da sigla. Ao lado de representantes do PL Mulher Nacional e do Estado de São Paulo, o Presidente Nacional da sigla, Valdemar Costa Neto, saudou as mulheres presentes e, mais uma vez, assegurou o compromisso partidário para consolidar o projeto coletivo de um país com mais dignidade humana e igualdade de gênero.  

Renato Bolsonaro, irmão do presidente da República, Jair Bolsonaro, Tadeu Candelária, presidente estadual do PL São Paulo, deputados federais pela legenda, além de integrantes da Executiva Nacional, estiveram presentes e elegeram o deputado federal Capitão Augusto, do PL de São Paulo, para ocupar a vice-presidência nacional da legenda.  

Na condição de Coordenadora Nacional do PL Mulher, a ex-deputada federal, Nilmar Ruiz, prestigiou a reunião, que também contou com a presença da Presidente do PL Mulher Regional Centro Oeste Paulista, Dani Alonso, da Presidente de Honra do PL Mulher SP, Heloisa Antunes, da Coordenadora Estadual do PL Mulher SP, Clarissa Johara, e de importantes lideranças femininas regionais, entre elas, Dra. Mirtes Santiago, Lucia Naf, Larissa Ashiushi, Roberta Taino, Ivete, Lucia, Yone.  

Em seu discurso, o Presidente Valdemar Costa Neto mencionou todas as mulheres presentes e fez uma menção a cada uma delas, enaltecendo a importância e relevância da participação feminina na política. O dirigente do PL paulista, Tadeu Candelária, tem a missão de fortalecer a ala feminina em São Paulo e vem trabalhando em conjunto com a deputada federal policial Katia Sastre, Presidente Estadual do PL Mulher.  

“Sob a liderança da deputada Katia Sastre, as mulheres do PL participam ativamente da vida partidária, incentivam e motivam o envolvimento desse público em todo o Estado de São Paulo, além de incorporar questões de igualdade de gênero. Coloco-me à disposição para trabalhar ao lado de nossas dirigentes, afinal quando as mulheres realmente possuem voz em todas as instituições de governança, desde as políticas até as do serviço público, do setor privado e da sociedade civil, elas são capazes de participar em pé de igualdade com os homens em diálogos públicos e influenciar as decisões que determinam seu próprio futuro e o de suas famílias”, defende Candelária.  

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.